Enquete

O que você achou do novo site?

Conheça a Cidade

 

CONHECENDO A HISTÓRIA DE QUIXADÁ

Origem do município


A colonização da área compreendida atualmente pelo município de Quixadá efetuou-se através da penetração do rio Jaguaribe, seguindo seu afluente o rio Banabuiú e depois o rio Sitiá. O objetivo foi a conquista de novas terras para a criação extensiva do gado.


Os índios Canindés e Genipapos, pertences ao grupo dos Tararíus, habitantes da região, resistiram à invasão portuguesa no início do século XVII. A hostilidade indígena só foi vencida em 1705, quando Manoel Gomes de Oliveira e André Moreira Barros ocuparam as terras quixadaenses.


Em 1641, Manoel da Silva Lima, alegando ter descoberto dois olhos d’água, obteve uma sesmaria. Essas terras, inicialmente de Carlos Azevedo, eram o "Sítio Quixadá" adquirido por compra conforme escritura de 18 de dezembro de 1728. Esta escritura é o primeiro documento público que aparece o nome Quixadá na sua atual forma gráfica.


O Sítio foi vendido, a José de Barros Ferreira em 1747. Oito anos depois José de Barros, construiu casas de morada, capela e curral, lançando assim as bases da atual cidade de Quixadá. José de Barros é considerado o legítimo fundador da cidade. A fazenda prosperou e se transformou em distrito do município de Quixeramobim.


Em 27 de outubro de 1870, Quixadá foi desmembrado de Quixeramobim e, por força da lei provincial nº. 1347, tornou-se município. Deste período até hoje, teve cinquenta e três governos municipais, sendo o fazendeiro Laurentino Belmonte de Queiroz o primeiro prefeito no período de 1871 a 1873. Atualmente o município é administrado pelo médico Rômulo Nepomuceno Bezerra Carneiro.


Origem do nome Quixadá


Há grandes controvérsias. Em alguns documentos antigos figura como Queixada ou Quixedá. Sabe-se, no entanto, que o termo é de origem indígena.


Paulino Nogueira, em seu livro vocabulário indígena, presume que o nome vem da tribo Tapuiá dos Quixarâs.


Para Teodoro Sampaio, a palavra pertence a Língua Cariri e não tem significado. Segundo Martins, significa "Oh! Eu sou o Senhor",Qui-"oh", Xé-"eu" e Uará-"senhor", tendo-se corrompido em Quixadá.


Pompeu Sobrinho atribuiu em princípio, a esse topônimo a origem Tupi e deu-lhe a seguinte interpretação: Qui-"ponta"; Chai-"gancho""torcida"; e Ita-"pedra" donde se conclui: Pedra da Ponta Encurvada ou Torcida. Essa interpretação se relaciona com a paisagem quixadaense onde tem pedras singulares como, por exemplo, a Galinha Choca, Bico de Arara.


Eusébio de Souza diz ser o vocábulo de origem Guarani que significa Pedra da Ponta Curvada. Os antigos falavam em Curral de Pedra, haja vista a localização da cidade que de fato, está cercada de monólitos.


Museu Histórico de Quixadá:


Casa em estilo barroco, construída segundo os moradores da cidade, pelo Sr. Joaquim Maia e reformada pelo Sr. Irineu Nogueira de Menezes, em 1922.


Acervo: 130 peças entre religiosas, mobiliário, fotográfico, trabalho escravo, trabalho agrícola e vestuário.


Endereço do museu: Rua Autran Moreno, 202 – Centro – Quixadá – CE

Fone: (88) 3414-5942 – E-mail: museu@quixada.ce.gov.br